Malditas pequenas decisões

De manhã bem cedo eu sempre acho que vai dar tudo certo, decido mil coisas, faço uma lista, não me falta convicção pra nada. Mas conforme o dia acontece, a força de vontade esmorece. Não vou comer sobremesa, aí eu como. Não vou checar meu e-mail 300 vezes nem andar com o celular na mão, mas eu checo e ando. Vou dar uma arrumada geral na papelada, acabo só mudando a pilha de lugar. Vou fazer a bainha de 3 calças, comprar um ferro de passar, marcar oculista e dentista, agendar a inspeção veicular.

Lá pelas 3 da tarde, já arranjei desculpas pra adiar quase tudo. Bastou decidir pra não cumprir, funciono melhor no improviso.

Ontem, sexta feira, a tortura master foi ter que obedecer uma resolução radical, tomada num momento de crise, em nome da harmonia familiar e do dinheiro investido na decoração da sala: decidimos (em julho, antes das férias) que essa criatura inocente só pode circular no terraço e no jardim, entrar em casa nunca mais. Concordei sem pensar, havia testemunhas, resulta que agora não posso voltar atrás, que ódio!

É certeza que, daqui pra frente, passo a decidir só em pensamento.  Boca fechada não entra mosquito.  (RL)

Categorias: Uncategorized

Autor:reparei

"Se podes olhar, vê. Se podes Ver, repara." (José Saramago)

Assinar

Assine nosso feed RSS e nossos perfis sociais para receber atualizações.

um comentário em “Malditas pequenas decisões”

  1. Marina
    25/08/2012 às 21:01 #

    Não fica triste,… logo, logo todos se acostumam,… até essa criaturinha não tão inocente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: